Redução de custos supera 20% em sistema lavoura-pecuária

Felipe Ferreira      quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Compartilhe esta página com seus amigos

O irrigante que quer aumentar sua produtividade precisa se dedicar periodicamente ao planejamento. É por meio dele que os objetivos do negócio são definidos e as estratégias são traçadas.

 

Entre os objetivos do Fernando Porto, proprietário e gestor da Fazenda Três Irmãos, que compõe o grupo familiar de propriedades administrado por ele e seus dois irmãos, estava aliar a criação de animais para pecuária de corte, o cultivo de culturas variadas, principalmente feijão e soja, e o cuidado ambiental. A Fazenda Três Irmãos, localizada no município de Jussara - GO,  contabiliza mais de 5 mil animais e 13 pivôs.

 

 

Desafio

 

Fernando queria conciliar a melhor época de plantio do feijão como primeira cultura com a manutenção do pasto fora de época, a partir do cultivo da braquiária ruziziensis, já que a pecuária de corte é o negócio principal do grupo. A integração lavoura-pecuária visava aumentar o potencial produtivo da fazenda, que também enfrentava o problema da demanda de energia da região.

 

"A gente tinha uma turma que fazia uma leitura bem simples das nossas contas na parte de irrigação. A turma amadureceu e, como todo processo de treinamento de pessoal e de dimensionamento de máquinas, chegou a hora de a gente buscar informações. Aí entrou a iCrop... Eu acho necessário abrir as portas da fazenda porque quem está entrando ali vem pra somar resultados. A iCrop veio e acrescentou no nosso processo produtivo", diz Fernando.

 

--

 

Conheça estratégias para alta performance na irrigação do feijoeiro. Baixe nosso e-book gratuitamente clicando aqui.

 

--

 

Impacto positivo

 

Apesar de o feijão necessitar irrigação em quase todo o seu ciclo, a atividade pecuária na fazenda não exigia o potencial produtivo máximo da ruziziensis, o que permitiu à iCrop estabelecer critérios mais acertados de manejo para ambos. Com isso, Fernando conseguiu não só reduzir seu custo real por hectare em mais de 20%, mas também aumentar a produção de feijão em praticamente um saco por hectare ano após ano. 

 

Impacto positivo gerado não só pelo manejo de água, mas também pelo manejo de energia, uma das principais queixas do produtor. Benefícios que também refletiram na cultura da soja, com o controle de irrigação administrado de acordo com a avaliação dos períodos seco e chuvoso feita pelo consultor.

 

--

 

Veja também como a Destilaria Vale do Paracatu aumentou a produtividade e reduziu o consumo energético na produção sucroalcooleira clicando aqui.

 

Cadastre-se e fique por dentro das novidades.